Yepocá_-_O_Papel_Roxo_da_Maçã_4_ (1)

Grupo teatral Yepocá apresenta “O Papel Roxo da Maçã” na Associação Crepúsculo

A Yepocá – Cia De Teatro, se apresenta na Associação Crepúsculo, nos dias 7 e 8 de junho, com o divertido e lúdico “O Papel Roxo da Maçã”. Uma ótima atração para toda a família!

Espetáculo encenado de forma “séria”, “muito séria”, por dois palhaços, que contam a história de Rosa, uma menina de cinco anos, muito esperta, divertida e curiosa, que está sempre descobrindo coisas novas.

Um dia, Rosa descobre que pode ouvir vozes e sons de um papel roxo, daqueles de embrulhar maçãs e dos livros da sua casa. Os pais, estimulando a curiosidade da filha, a matriculam na escola da sua pequena cidade… Vila Boa.

Com o passar do tempo, a menina percebe, no mundo dos livros, que é melhor ainda ler e imaginar as histórias que eles contam. Ela descobre que as palavras são encantadas e que a leitura é uma das coisas mais deliciosas da vida.

A peça tem uma proposta didática, mas sem ser em nenhum momento chata. A história é contada com muita cor e fantasia, de forma divertida, com música e outros elementos lúdicos que enriquecem a encenação e encantam crianças e adultos.

Um espetáculo lúdico, divertido e pedagógico.

Serviço
Data: 7 e 8 de Junho (Sábado e Domingo) às 16 horas
Local: Associação Crepúsculo – Rua Sertões, 147 – Prado – (31) 3225.0040 / 3223.4611
Ingressos: R$ 20,00 (Inteira) – R$ 10,00 (Meia Entrada e Antecipado)
Classificação: Livre – Especialmente recomendado para todas as idades
Duração: 50 minutos

Ficha Técnica e Artística 

Adaptado do Livro Homônimo de Marcos Bagno Concepção geral, adaptação de texto e direção Silvino Fernandes Elenco Bruno Godinho e Luísa Goreti Trilha Sonora Original Fernando Terra Confecção Cenário Domingos Noel Cenoténico Camilo Rocha Confecção Figurinos Gê Fagundes e Zica do Jacé Apoio Técnico e Produção Lenise Moraes e Yasmin Silveira Iluminação Henrique Machado Montagem, produção e Realização Yepocá – Cia De Teatro

O Grupo

O grupo, desde a sua criação, já se apresentou em mais de 140 cidades mineiras e diversas cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás e Distrito Federal. Além de 13 cidades em Portugal entre 2001 e 2002. A Yepocá já participou e foi comtemplada com Prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz, edital Microprojetos da Bacia do São Francisco, projeto “Yepocá em Cena – Mostra Teatral Itinerante”, projeto “Catavento das Artes – SESC MG” e com circulação através do Prêmio Cena Minas.

O repertório da Yepocá funciona como veículo de reflexão sobre temáticas do cotidiano. Elementos de conteúdo profundo, mas tratados de forma lúdica e divertida, permeiam os espetáculos oferecidos pelo grupo.

 

 

IMG_3206

Colabore com a Associação Crepúsculo

A Associação Crepúsculo está cada vez mais ampliando suas ações de inclusão, para que pessoas com e sem deficiências possam ser atendidas nos centros clínicos, pedagógicos e artísticos. Em sua nova sede, novos projetos estão em desenvolvimento e as portas estão abertas para todo a comunidade.

No entanto, sua ajuda é fundamental para continuarmos oferecendo nossas atividades para a comunidade. E é muito simples contribuir para o desenvolvimento da  Associação Crepúsculo. Quem quiser fazer doação à Crepúsculo, de qualquer valor, pode fazer um cadastro rápido no site e receber, por e-mail, um boleto para pagamento. Tudo rápido e simples.

Para solicitar o boleto e fazer a doação, clique aqui.

Outras formas de doação

Também é possível realizar doações por crédito em conta (depósito ou transferência), em quatro bancos diferentes. Confira:

Banco Bradesco
Agencia: 2903-3
Conta corrente: 6197-2
Associação Crepúsculo – Arte Saúde e Educação sem Barreiras
CNPJ 05.133.545/0001-90

Banco do Brasil
Agencia: 1585-7
Conta corrente: 8645-2
Associação Crepúsculo – Arte Saúde e Educação sem Barreiras
CNPJ 05.133.545/0001-90

Banco Itaú
Agencia: 1582
Conta corrente: 28080-4
Associação Crepúsculo – Arte Saúde e Educação sem Barreiras
CNPJ 05.133.545/0001-90

Caixa Econômica
Agencia: 0536
Operação: 003
Conta corrente: 1421-3
Associação Crepúsculo – Arte Saúde e Educação sem Barreiras
CNPJ 05.133.545/0001-90

 

fotos_amr

Associação Crepúsculo participa do Projeto Sociedade para Todos

No último mês, o Núcleo de Mobilização Crepusculoar, da Associação Crepúsculo, participou do projeto “Sociedade Para Todos” da Associação Mineira de Reabilitação (AMR), retornando à Escola Municipal Padre Guilherme, localizada no bairro São Lucas, uma semana após a exposição das fotos e do questionário realizado para dar continuidade à segunda etapa do projeto.

Reunindo todos os alunos da escola na quadra poliesportiva, foi montado um cenário para a apresentação do grupo teatral “Núcleo de Mobilização Crepuscular”, que contou com quatro personagens de uma história envolvente sobre pessoas com deficiência. A peça foi criada para fazer com que as crianças compreendam de uma forma divertida e simples, a questão da inclusão do deficiente na sociedade.

Após apresentação, todas as crianças e professores receberam o livro “Um amigo diferente?”, obra que inspirou a peça de teatro. As crianças pareciam encantadas com os livros e principalmente com os atores da peça de teatro, abraçando-os, além de agradecerem pela apresentação.

Na etapa seguinte houve uma dinâmica com os alunos para que pudessem assistir a um vídeo sobre a Diversidade. Foram realizadas dinâmicas com equipamentos utilizados pelas crianças com deficiência, que permitiram aos alunos entenderem quais são as dificuldade das crianças com deficiência física e a forma com que podem superá-las com a ajuda de outras crianças. O projeto “Sociedade para Todos” levou às crianças e professores da escola Padre Guilherme, uma nova visão sobre o tema da inclusão de pessoas com deficiência na sociedade.

Fonte: http://sociedadeparatodos.wordpress.com/

 

parada do trem2

“Parada do Trem”, novo espetáculo do Grupo de Teatro Olho Nu

No último mês, o Grupo de Teatro Olho Nu estreou o espetáculo “Parada do Trem”. Com os recursos do Premio Myriam Muniz da Funarte, o espetáculo foi apresentado pela primeira vez na Estação Ferroviária de Congonhas do Campo (MG), que está completando cem anos.

A partir de uma longa pesquisa realizada nas cinquenta estações ferroviárias compreendidas no trecho do antigo “Trem do Sertão, o grupo reuniu histórias, relatos, imagens, sons, objetos e inspiração para a montagem do espetáculo.

“Nos primeiros dias desse ano, partimos, elenco e direção, em um carro rumo a Montes Claros, ponto de partida de nossa pesquisa. Seguimos, durante diversos dias, passando por todas as antigas estações e paradas de trem das cidades atendidas pela extinta Rede Ferroviária Federal, antiga Central do Brasil, existentes no trecho Belo Horizonte a Montes Claros. Decididos a lançar mão da mímeses corpórea como uma das ferramentas de construção de nossos personagens, priorizamos o encontro com pessoas. E encontramos muitas”, afirma Geraldo Otaviano, Diretor do espetáculo. “Onde existir uma linha de trem, ainda que em ruínas, e um amante/poeta que fale dela, até lá vai nossa ferrovia”, finaliza.

O espetáculo “Parada do Trem”, que tem no elenco Cláudio Márcio, da Associação Crepúsculo, será apresentado em Belo Horizonte, de 18 a 27 de julho, na Funarte - Rua Januária, 68 – Centro . Entrada gratuita.

Entre o ceu e as serras

Entre o Céu e as Serras, da Cia de Dança Palácio das Artes

Já estão à venda os ingressos de um dos espetáculos mais premiados do repertório da Cia. de Dança Palácio das Artes, Entre o Céu e as Serras, que estreou em 2000, com grande sucesso de crítica e público. A direção é de Cristina Machado, a orientação de pesquisa de movimento de Luiz Mendonça e a cocriação coreográfica ficou a cargo de Suzana Mafra, Marcio Alves, Lydia del Picchia e bailarinos da Cia. de Dança Palácio das Artes.

As apresentações acontecem nos dias 6 e 7 de junho, às 20h30, no Grande Teatro do Palácio das Artes.

A montagem traz diversas referências culturais ao período barroco e à formação da identidade do povo mineiro. A religiosidade, o domínio português e a resistência da cultura negra, o contato do homem com a natureza e os desdobramentos dessas vivências foram conceitos pesquisados e traduzidos para o espetáculo de forma contemporânea pela Cia. de Dança.

Entre o Céu e as Serras navega pelos sentidos e significados da música, texto e corpos inscritos nos rituais e festividades das comunidades afrodescendentes, agentes expressivos de tradições e espiritualidade. Foto: Focoincena

 

FICHA TÉCNICA

Direção: Cristina Machado

Orientação de pesquisa de movimento: Luiz Mendonça

Cocriação coreográfica original: Suzana Mafra, Marcio Alves, Lydia del Picchia e bailarinos da Cia. de Dança Palácio das Artes

Trilha sonora original: Cláudia Cimbleris

Cenário: Wanda Sgarbi

Figurino: Marco Paulo Rolla

Vídeo: Chico de Paula

Design de luz: Ney Matogrosso e Juarez Farinon