4

4ª Balada do Crepúsculo, diversidade, inclusão e solidariedade de mãos dadas

Uma noite de sábado bem agitada, alegre e muito festiva teve quem compareceu na sede do Crepúsculo – Centro de Desenvolvimento Humano, no dia 18 de março de 2017 e pôde curtir a 4ª Balada do Crepúsculo, uma festa inclusiva que preza pela diversidade e tem como objetivo maior a interação entre os vários públicos englobados no seu cotidiano.

1

Às 18 horas as portas foram abertas e os atendidos do Crepúsculo, com seus familiares e amigos convidados, juntamente com vizinhos foram chegando cheios de entusiasmo e alegria. Aos poucos o espaço estava bastante movimentado e o clima estava agradável e a expectativa aumentava para o início das apresentações artísticas.

2

A dupla Heranças, formada por Guilherme no violão e Ana Ju no vocal, que possui uma voz suave e encantadora, fizeram as honras da casa e começaram a agitação na pista. Entoando canções modernas de bandas como A Banda Mais Bonita da Cidade, Lulu Santos, Thiago Iorc, Charlie Brown Jr, Ana Vitória entre outros sucessos, a Heranças esquentaram o ambiente, colocaram todo mundo para dançar e cantar e deixou o público sedento por mais agito e preparado para receber a Banda Catuaba Crew.

A vocalista Ana Ju disse como foi tocar para um público diversificado como o da Balada do Crepúsculo: “Tem certos momentos na vida da gente que chegamos a desacreditar de tudo, mas a partir de uma coisa especial que fazemos com o coração e temos o retorno disso, percebemos que a vida é muito mais do que só agradar aos outros. O sorriso e a animação de cada um dos meninos do Crepúsculo, me trouxe uma nova expectativa, um novo ponto de vista. Meu coração se enche de alegria pela simples sensação de ter sido salva pela inocência de cada um”.

A noite ainda prometia e a Banda Catuaba Crew elevou mais os ânimos dos presentes e todos soltaram a garganta e se sacudiram ao som de sucessos do pop nacional de Tim Maia, Capital Inicial, Legião Urbana, Charlie Brown Jr, em uma sequência para tirar o fôlego de qualquer um. Quando parecia que já havia terminado, a Catuaba Crew despejou a dose final em ritmo de Mamonas Assassinas, fechando com chave de ouro a sua participação numa festa totalmente inclusiva e bonita de assistir e participar.

3

Os meninos da Catuaba Crew e da Heranças, em uma demonstração de carinho e humildade tiveram um tempo para as fotos finais, compartilhando o êxtase em que todos se encontravam. O percussionista Lucas Gabriel agradeceu ao público e a produção: “Foi um lindo festival, adorei a vibe, obrigado por tudo”!

5

Em uma noite onde a diversidade e a alegria foram as maiores atrações, houve também a participação da solidariedade, com a doação de alimentos não perecíveis que a “Heranças” repassará para famílias com dificuldades financeiras. Uma festa totalmente inclusiva, como se deve ser sempre.

Por Elmo Gomes